terça-feira, janeiro 25, 2022

Brasil e Japão devem caminhar para um acordo de livre comércio, diz CNI

05/10 – Agência CNI de Notícias

O Brasil mudou e está disposto a negociar um acordo de livre comércio e de investimentos com o Japão. Esta foi a mensagem do presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, na abertura da 19ª Reunião Conjunta do Comitê de Cooperação Econômica Brasil-Japão, na terça-feira (4), em Tóquio, organizado pela CNI e pela Nippon Keidanren, a maior entidade empresarial japonesa. O setor privado e o governo dos dois países avaliam que o momento é propício para avançar nas relações bilaterais. Segundo o secretário-executivo do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Fernando Furlan, o Brasil vive novos tempos. “Retomamos a estabilidade política e, por consequência, a estabilidade econômica vem se mostrando no horizonte à frente”.
No ano passado, o setor privado brasileiro e japonês entregou aos dois governos um modelo de acordo comercial que, na visão do empresariado, é o melhor caminho para reduzir as barreiras ao comércio e ao investimento entre os dois países. Mas só agora, o documento ecoou nos governos. “Eu queria reiterar a claríssima mensagem do governo Temer em relação ao Japão. Fico feliz que o presidente da CNI tenha mencionado a necessidade de acordos, porque depois da União Europeia, o Japão poderia ser a próxima etapa”, afirmou o embaixador brasileiro no Japão, André Correa do Lago. 
No ano passado, o país asiático assinou o Acordo Transpacífico (TPP) com os Estados Unidos e outras dez economias, entre elas Chile, Peru e México. Quando entrar em vigor, o acordo vai mudar o sistema mundial de comércio com a liberalização de serviços e adoção de novas regras para a promoção de investimentos em parte da Ásia e América. O Brasil não está no TPP e, no momento, o acordo encontra resistência no Congresso americano e dos pequenos e médios empresários no Japão para ser internalizado. Segundo o CEO da Mitsui e presidente do Comitê de Cooperação Econômica Brasil-Japão, do lado japonês, Masami Iijima, os governos do Brasil e do Japão devem iniciar o exercício de escopo do que poderá se tornar o texto do acordo de livre comércio entre os dois países.
Como um acordo de livre comércio tem etapas a serem cumpridas e a negociação é complexa, o presidente do Comitê de Cooperação Econômica Brasil-Japão, do lado brasileiro, e presidente da Vale, Murilo Ferreira, defendeu que, paralelamente, os países devem assinar o Acordo de Cooperação e Facilitação de Investimento (ACFI). Este modelo de acordo foi criado pelo Brasil, em 2015, para reduzir os riscos dos investimentos no exterior e apoiar a internacionalização das empresas. “CNI e o Keidanren estão empenhados num acordo de comércio. Há muito a ser feito no meio do caminho, o acordo de investimento é um deles”, afirmou Murilo Ferreira. “Estamos confiantes na capacidade dos governos em impulsionar a agenda bilateral”, completou.
Presidente da seção japonesa do Grupo de Notáveis para a Parceria Econômica Estratégica entre Brasil e Japão, Akio Mimura, lembrou que o Japão enfrenta um problema grave de redução da população e, por isso, não tem mais como contar com o mercado interno japonês para ampliar sua produção. “Temos expectativas de que o Brasil seja destino de nossos investimentos. Mas em 2015 os investimentos japoneses no país caíram 53% em relação ao ano passado.  É difícil resolver o custo Brasil, a confusão política e o baixo crescimento. Esperamos que os dois governos trabalhem em conjunto. A assinatura de um acordo de livre comércio é vantajosa para ambas as economias”, disse.
O diretor-geral do escritório para América Latina e Caribe do Ministério de Relações Exteriores do Japão, Yasushi Takase, garantiu que vai trabalhar para fortalecer a relação dos dois países. “O presidente Abe (Shinzo Abe) mostrou o desejo de que Temer (Michel Temer) mantenha o país estável para podermos avançar na proposta EPA (acordo de parceria econômica). Com Temer no Brasil e Mauricio Macri na Argentina, estamos com a expectativa de uma política mais aberta”, afirmou Takase.
Por Adriana Nicacio, de Tóquio
Foto: Hirofumi Kudoh
Para a Agência CNI de Notícias

Portal ContNewshttp://www.portalcontnews.com.br
Informações pertinentes ao dia-a-dia dos profissionais contábeis. Notícias contábeis diárias, vídeos de eventos contábeis e conteúdos específicos para o contador!

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Relacionados

Populares

Plantão ContNews

Tem eBook pra você

eBook para DP: Produtores Rurais

eBook para DP: Produtores Rurais

spot_imgspot_img

CADASTRE-SE NA NEWS

Assine a nossa lista e receba novidades sobre o Contabilidade na TV.

OBRIGADO

POR SE INSCREVER!