sábado, janeiro 29, 2022

Assessoria tributária pode ser uma ferramenta estratégica para a EFD-Reinf

Em artigos anteriores já comentamos que o controle das notas fiscais de serviços é fundamental para a geração correta da EFD-Reinf. E sabemos também que entender os cálculos das retenções compreende um dos requisitos necessários para realizar a entrega dos eventos da EFD-Reinf de forma consistente.

Mas para que essa tarefa seja cumprida com excelência, pode ser necessário solicitar a assessoria de profissionais habilitados para ajudar a revisar os processos relacionados a contratação de serviços com as retenção aplicadas a EFD-Reinf, que ofereçam soluções para aumentar o nível de capacitação das equipes envolvidas, e que ajudem a potencializar as verificações com relação a cruzamento de informações.

A solução não virá do dia para noite com certeza, mas ela deve ser construída de maneira que vise a segurança, e evite riscos desnecessários. O empresário deverá passar também por uma mudança de cultura, pois com a EFD-Reinf e com o eSocial, obrigações como GFIP e DIRF serão extintas futuramente, e a empresa deverá gerir e obedecer corretamente às regras dessas novas obrigações acessórias.

É importante conhecer a IN 1.701/17 que estabelece pontos como, a obrigatoriedade da EFD-Reinf, as informações que devem ser apresentadas, os prazos de envio entre outras informações muito importantes. Sem contar que é importante também conhecer os leiautes dos XML da EFD-Reif, estes leiautes sofrem atualizações por vezes, e é muito importante acompanhar essas mudanças, recentemente inclusive foram publicados os arquivos XSD da versão 1.4 da EFD-Reinf para a competência de outubro.

Para que a empresa tenha sucesso com o envio da EFD-Reinf a assessoria escolhida também terá de ajudar a rever os processos sobre o cálculo e controle dos dados para a CPRB, caso a empresa seja optante. Mais do que apenas saber o que deve ser entregue no R-2060 que é o evento responsável pela declaração dos dados da CPRB, a empresa deve ter total compliance das regras de cálculo da Lei 12.546/2011, por isso é interessante revisar a forma de cálculo para verificar se todas as receitas que são sujeitas a CPRB conforme a Lei, estão sendo calculadas corretamente.

Quando se fala em EFD-Reinf, o contribuinte deve tentar entender o que ele deverá entregar nessa nova declaração, e o que isso influenciará dentro das rotinas internas da empresa. Claro que se forem cometidos erros, ou omissões, a empresa poderá retificar as informações, mas é sempre mais interessante mandar todos os dados corretamente da primeira vez, pois isso além de evitar retrabalhos, dá mais produtividade a empresa.

Carla Lidiane Müller
Bacharel em Ciências Contábeis, com MBA em Direito Tributário, cursando especialização em Contabilidade e Gestão de Tributos. Trabalha na SCI Sistemas Contábeis como Analista de Negócios e é articulista do Blog Contabilidade na TV desde 2016.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Relacionados

Populares

Plantão ContNews

Tem eBook pra você

eBook para DP: Produtores Rurais

eBook para DP: Produtores Rurais

spot_imgspot_img

CADASTRE-SE NA NEWS

Assine a nossa lista e receba novidades sobre o Contabilidade na TV.

OBRIGADO

POR SE INSCREVER!