quarta-feira, janeiro 19, 2022

Dicas para ajudar a sua empresa a sair do período de endividamento

Vivemos em um país que está passando por dificuldades econômicas. O Brasil, que teve seu período de expansão entre 2004 e 2013, passa agora por uma recessão, com crescimento do PIB em média negativa de 3,7% e piora dos indicadores sociais. Isso acaba por refletir no crescimento empresarial e gera um aumento do endividamento de muitas empresas, que tentam se manter de pé ante a este momento de desaceleração econômica. Qualquer empresa pode passar por uma fase de endividamento, e quando ocorre essa situação é importante que seus gestores saibam quais técnicas poderão ser utilizadas para ajudar a sair deste momento de crise.

É importante procurar profissionais especializados na área empresarial que ajudem a elaborar um planejamento eficaz de reestruturação da empresa de forma legal. Será necessário diagnosticar a real situação da empresa verificando seus ativos e passivos, para então analisar qual a melhor estratégia a ser utilizada – como por exemplo rever ativos desperdiçados por pagamentos de multas que poderiam ser evitadas, o pagamento de tributos indevidos, pagamentos de juros abusivos a instituições financeiras, entre outras formas de perda de dinheiro que a empresa possa ter.

Outras soluções que podemos citar são a negociação ou renegociação de dívidas, busca de parcelamentos, busca de moratórias, compensações, remissões, análise de situações de prescrição e decadência, ou a dação em pagamento de bens móveis ou imóveis – mas cada opção deve ser muito bem analisada para ver se é algo que realmente vai ajudar a empresa na sua recuperação financeira. Por exemplo, não adianta muito renegociar dívidas para fazer mais dívidas e cobrir outros buracos orçamentários dentro da organização; isso fará com que a empresa deixe de trabalhar com o objetivo de obter lucros e passe a trabalhar apenas para pagar dívidas.

Mas nem toda a dívida é algo ruim, existe também algo chamado de dívida boa, que são, por exemplo, os investimentos em novas tecnologias e maquinário para otimizar a eficiência da empresa e reduzir custos e despesas. O investimento nestes casos só é possível por meio de uma dívida que a empresa teve de contrair, mas que se paga sozinho ao longo do tempo.

Como resultado de aplicações bem feitas, aplicações de estratégias e abordagens corretas junto a credores, a empresa conseguirá se recuperar – mas a prevenção é sempre a solução mais eficiente. Por isso, antes de partir para ações como renegociação de dívidas e outras soluções para reverter esse excesso de passivo, conheça primeiro os índices de endividamento da sua empresa, para ver como está o seu grau de endividamento e saber quando ações mais drásticas devem ser tomadas. Em uma organização, deve ser analisado o Fluxo Esperado de Benefícios Futuros, que é obtido através de estimativas de valores prováveis para os cenários já analisados. Dívidas contraídas a título de investimentos precisam ter um fluxo esperado de benefícios financeiros maior que o valor inicialmente investido. Por isso o endividamento a título de investimento precisa levar em conta uma análise também do custo da dívida ao longo do tempo, do aumento da receita que se espera ter e do impacto dessas receitas no fluxo de caixa da empresa. Fazer previsões usando outros indicadores como Payback e taxa interna de retorno ajudam também para a tomada de decisão, pois ajudam na análise da rentabilidade e dos riscos do projeto que se deseja investir.

Dívidas em projetos de investimento são consideradas dívidas boas, pois ajudam a empresa a crescer. Mas a tomada de decisão precisa ser feita de forma segura, embasada e estruturada.

Em se tratando de renegociação de dívidas com credores, é importante que a empresa seja transparente e que tente negociar principalmente juros menores e descontos em juros, multas e parcelamentos de débitos ainda não parcelados. É importante que durante toda essa fase de reorganização da empresa o empresário não perca o foco nos seus negócios – e por isso volto a frisar a importância de ter profissionais experientes, especializados e competentes para lhe dar este apoio, pois sem eles fica muito difícil continuar com as outras atividades de expansão do negócio (como prospecção de clientes e controle de vendas) enquanto se está também cuidando da recuperação financeira da empresa.

Com essas dicas torna-se mais clara a visualização de algumas atitudes que podem melhorar o seu fluxo de caixa para atender o seu orçamento empresarial e evitar ficar no vermelho.

Carla Lidiane Müller
Bacharel em Ciências Contábeis, com MBA em Direito Tributário, cursando especialização em Contabilidade e Gestão de Tributos. Trabalha na SCI Sistemas Contábeis como Analista de Negócios e é articulista do Blog Contabilidade na TV desde 2016.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Relacionados

Populares

Plantão ContNews

Tem eBook pra você

eBook para DP: Produtores Rurais

eBook para DP: Produtores Rurais

spot_imgspot_img

CADASTRE-SE NA NEWS

Assine a nossa lista e receba novidades sobre o Contabilidade na TV.

OBRIGADO

POR SE INSCREVER!